top of page

Arquétipo de Perséfone - A Deusa do Submundo na Mitologia Grega

Atualizado: há 4 dias

A Deusa Perséfone é a rainha do submundo na mitologia grega. Inclusive, é considerada a deusa da agricultura, das estações, das flores, dos frutos, das ervas e da fertilidade. Na mitologia romana, ela é chamada de Proserpina.


Saiba mais, ficando comigo ao longo desse artigo sobre o Arquétipo de Perséfone a Deusa do Submundo na Mitologia Grega.









O Arquétipo da Deusa Perséfone aparece em a Ilíada simplesmente como rainha do mundo inferior e esposa do deus Hades.


O mito do seu rapto é uns dos primeiros narrado por Hesíodo.


Os deuses, Hermes, Ares, Dioniso e Apolo todos cortejaram-na. Deméter rejeitou todos os seus dons e escondeu a filha longe da companhia dos deuses. No meu ponto de vista vejo uma mãe super protetora que por medo que a sua filha sofra a esconde do futuro o máximo que consegue.


Mas nesse ponto a deusa Deméter é conhecida como o arquétipo da mãe, frutífera e próspera com muito amor e provisão para gerar a sua filha e criações. Em breve, vamos juntas analisar esse arquétipo.


“Todos os que habitavam em Olimpo foram enfeitiçados por esta menina (Perséfone), rivais no amor a menina casar, e Hermes ofereceu seus dotes para uma noiva. E ele ofereceu a sua vara como dom para decorar seu quarto (como preço da noiva para a mão dela em casamento, mas todas as ofertas foram recusadas por sua mãe Deméter).”

— Nono de Panópolis , Dionisíaca 5.562.



O Romance do Arquétipo de Perséfone


Quando os sinais de sua grande beleza e feminilidade começaram a brilhar, em sua adolescência, chamou a atenção do deus Hades que a pediu em casamento.


Zeus advertiu o seu irmão que Démeter não quer que nenhum deus chegue perto da sua filha amada e protegida. Hades, impaciente, emergiu da terra e raptou-a enquanto ela colhia flores com as ninfas, entre elas Leucipe e Aretusa, ou segundo os hinos homéricos, a deusa estava também junto de suas irmãs Atena e Ártemis. Hades levou-a para seus domínios (o mundo subterrâneo ou mundo inferior), desposando-a e fazendo dela sua rainha.


O mito conta que a deusa Deméter ficou inconsolável, acabou por dedicar se exclusivamente a encontrar sua filha e com isso : as terras tornaram-se estéreis e houve escassez de alimentos, e a deusa Démeter recusou-se a ingerir qualquer alimento e começou a definhar.


Ninguém queria lhe contar o que havia acontecido com sua filha, mas a deusa Deméter depois de muito procurar finalmente descobriu através de Hécate e Hélio que a jovem deusa havia sido levada para o mundo dos mortos, e junto com Hermes, foi buscá-la no reino de Hades (ou segundo outras fontes, Zeus ordenou que Hades devolvesse a sua filha).


Como entretanto a Deusa Perséfone tinha comido algo (seis sementes de romã) concluiu-se que não tinha rejeitado inteiramente Hades.


Assim, estabeleceu-se um acordo, ela passaria metade do ano junto a deusa Deméter, quando seria Cora (para os romanos), a eterna adolescente, e o restante com Hades, quando se tornaria a sombria Deusa Perséfone (Proserpina, para os romanos). Este mito justifica o ciclo anual das colheitas.


A história do rapto da Deusa Perséfone fazia parte dos ritos de iniciação nos mistérios de Elêusis, ritos de iniciação ao culto das deusas Deméter e Perséfone, que se celebravam em Elêusis, na Grécia antiga.


Entre outras versões, a minha interpretação é que ela se apaixonou pelo deus Hades e facilitou o sequestro no jardim quando se questionava como era o mundo lá fora, passando pelas fases da menina, donzela e chegando finalmente na velha anciã (sabedoria).


Muitas vezes, vamos querer conhecer o mundo lá fora e saber que tem uma provisão em abundância nos esperando na casa da mãe (família) é fantástico sim. Inclusive, nesse caso a sociedade condena o fato de alguém querer ficar perto da família e no meu ponto de vista é um privilégio.


Mas se por outro lado, você não tem essa provisão para vivenciar pode olhar ao seu redor e encontrar uma referência desse acolhimento e se mesmo assim se sentir sozinha, procure você mesma acolher alguém com amor e provisão.


Siga fazendo suas pesquisas, utilize o exercício do Ciclo Criativo que pode ser uma ferramenta de poder para você se conhecer, analisar os seus ciclos e respeitar momentos de introspecção assim como aproveitar os momentos de criação.


Entenda, que você é amada e tem tudo do que precisa dentro de você.



Símbolos do Arquétipo da Deusa Perséfone



  • Flores

  • Plantas

  • Natureza

  • Romã



Exercícios do Arquétipo de Perséfone


Siga, escrevendo uma carta para o seu Eu do futuro e selecione as provisões e amores que deseja vivenciar.


Acredite nos ciclos e que tudo passa e logo chega a primavera com suas flores e o verão com a sua beleza e calor.


Se permita passar pelos ciclos e sem se justificar por hora querer chutar tudo e hora desejar organizar tudo, siga o seu coração e vivencie cada momento da sua vida no seu padrão.


Curtiu?

Comente aqui embaixo as suas experiências com os Arquétipos e Planejamento.

Agende Hoje a sua Sessão.


Até Logo!

Patricia Lima

Facilitadora de Arquétipos e Planejamento



P.S. É Proibido o compartilhamento desse material sem os devidos créditos. Pode utilizar para inspirar-se e não para copiar.



















Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page